Remoção de tumor cutâneo (câncer de pele) Remoção de tumor cutâneo (câncer de pele)

Tratamentos

Remoção de tumor cutâneo (câncer de pele)

A imagem mostra o antebraço de uma pessoa com pele branca. A pessoa está com dois dedos ao redor de uma mancha no antebraço. O sinal tem cor marrom, com bordas irregulares e em coloração mais clara. Ela veste camiseta branca. O fundo da imagem é amarelo.

Os procedimentos para remoção do câncer de pele são altamente efetivos e garantem que os pacientes possam retomar sua saúde e bem-estar. As técnicas utilizadas podem ser feitas no consultório médico, com utilização de anestesia local, e com recuperação rápida e tranquila. Confira mais sobre os tratamentos!

Câncer de pele: o que é?

O câncer de pele é um dos tumores mais comuns no Brasil, e representa cerca de 25% de todos os cânceres diagnosticados no país. Uma das principais causas da enfermidade é a exposição excessiva ao sol e aos raios ultravioletas, que levam a pele a produzir células desordenadamente, como uma forma de proteção aos agentes externos.

Com isso, podem surgir manchas, pintas e sinais malignos, originados pelo efeito cumulativo da exposição solar, que danifica a barreira protetora da pele. Os principais tipos são:

  • Carcinomas: o tipo de câncer de pele mais comum e menos grave, causado pela produção anormal de células da pele.
  • Melanoma: menos comum, porém mais grave, esse tipo de câncer é originado pela produção excessiva de melanócitos, as células responsáveis pela cor da pele.

Diagnóstico do câncer de pele

O diagnóstico de câncer de pele só pode ser feito por um médico dermatologista, que irá analisar as manchas ou sinais com exames específicos. Em geral, os pacientes devem ficar atentos a lesões na pele que não cicatrizam ou que sangram e ficam localizadas em áreas mais expostas ao sol.

Uma excelente técnica para identificar sintomas de atenção é a regra ABCDE, na qual é feita a análise de lesões com características determinadas:

  • Assimetria: quando metade da lesão é diferente da outra.
  • Bordas: quando forem irregulares, com aspecto dentado, são lesões suspeitas.
  • Cor: quando houver diferentes tons, como preto em algumas partes e marrom em outras, é preciso buscar auxílio médico.
  • Diâmetro: lesões com diâmetro maior do que 5 mm são suspeitas.
  • Evolução: mudanças na coloração, tamanho ou forma, devem ser investigadas pelo dermatologista.

Técnicas para remoção de tumor na pele

Quando o câncer de pele é detectado, o dermatologista irá indicar o melhor método de tratamento e remoção da lesão maligna. Atualmente, existem diversas técnicas disponíveis para este fim, que podem ser realizadas no consultório médico:

Excisão

Esta é uma técnica que remove lesões com a utilização de bisturi e anestesia local, para minimizar o desconforto do paciente. O procedimento se inicia com a medição da área a ser removida, incluindo uma margem de segurança. Ou seja, o dermatologista remove o sinal e uma pequena margem de pele ao redor dele.

A remoção é feita até a camada de gordura, uma forma de certificar que toda a lesão foi retirada. Na sequência, a área é fechada com pontos cirúrgicos e curativos. Em geral, é preciso retornar para consulta e retirada dos pontos após 7 a 14 dias.

Eletrocauterização

O método, também conhecido como cauterização de tumor, é um procedimento cirúrgico que destrói as lesões causadas pelo câncer de pele. O primeiro passo para realização da remoção é a limpeza da área e aplicação do anestésico.

A pele é carbonizada por um aparelho que emite eletricidade e calor, e permite que o paciente retorne às atividades cotidianas logo após o procedimento. O ferimento completa a cicatrização em, aproximadamente, 15 dias, e é indicado que o paciente não exponha a área ao sol durante 60 dias.

Cirurgia de Mohs

Quando o tumor se apresenta em áreas mais sensíveis, como ao redor dos olhos, orelhas ou dedos, a cirurgia de Mohs pode ser indicada, pois preserva uma maior quantidade de pele saudável ao redor do câncer. Ela é feita com base no tipo, tamanho e localização da lesão, e apresenta resultados mais efetivos do que outras técnicas, porém é mais complexa e demorada.

Em um primeiro momento, o médico retira o tecido com tumor, que é enviado para análise laboratorial. Se ainda forem identificadas células cancerígenas na área, mais uma pequena parcela de tecido é removida e o processo é repetido.

Remoção de tumor cutâneo em Passo Fundo: quanto custa?

Na Clínica Médica Dra. Sheila Matielo, a remoção de tumor é feita com base na ética médica, visando o bem-estar do paciente. Para isso, realizamos exames precisos, a fim de identificar as melhores técnicas de tratamento em cada caso.

Desta forma, não é possível definir um valor único para o procedimento, que varia conforme a forma de remoção realizada, quantidade de lesões e condições de saúde do paciente. Agende uma avaliação e descubra como podemos auxiliar o seu caso.

Nossas Tecnologias Nossas Tecnologias

Desfrute a beleza de bem-estar

Tratamentos e protocolos específicos para a saúde da sua pele.

Topo
Open chat